12/06/2013

Papa Francisco diz que "Cristãos devem envolver-se na política"


Sabe porque existe tanta corrupção no meio político?? Porque muitos políticos estão longe de Deus. Se a pessoa tiver temor de Deus ela não pratica corrupção. Não podemos deixar que o poder seja dominado por pessoas ruins, é preciso sim homens e mulheres de Deus no poder, só não podem se deixar contaminar depois que estiverem lá. Que Deus tenha misericórdia do nosso Brasil e coloque honestidade, obediência e respeito nos corações dos nossos políticos.

2 comentários:

  1. Como Jesus encarava a política?

    OS EVANGELHOS relatam acontecimentos do ministério de Jesus que o colocaram frente a frente com a política. Por exemplo, pouco depois de Jesus ser batizado, com cerca de 30 anos, o Diabo lhe ofereceu a posição de governante mundial. Mais tarde, uma multidão queria fazer dele o seu rei. Algum tempo depois, as pessoas tentaram forçá-lo a se tornar um ativista político. Como Jesus reagiu? Vamos analisar esses acontecimentos.
    Governante mundial. Os Evangelhos dizem que o Diabo ofereceu a Jesus o domínio sobre “todos os reinos do mundo”. Pense em tudo o que Jesus poderia ter feito com esse poder para aliviar o sofrimento da humanidade! Que pessoa interessada em política e sinceramente preocupada com o progresso da humanidade recusaria uma oferta dessas? Mas Jesus recusou. — Mateus 4:8-11.
    Rei. Na época de Jesus, muitos ansiavam desesperadamente um governante que resolvesse seus problemas econômicos e políticos. Impressionados com as habilidades de Jesus, queriam que ele entrasse na política. Qual foi sua reação? João escreveu em seu Evangelho que Jesus, “sabendo que estavam para vir e apoderar-se dele para o fazerem rei, retirou-se novamente para o monte, sozinho”. (João 6:10-15) Fica evidente que Jesus não quis se envolver na política.
    Ativista político. Dias antes de ser morto, Jesus foi abordado pelos discípulos dos fariseus, que queriam que Israel fosse independente do Império Romano, e pelos herodianos, membros de um partido que apoiava Roma. Tentando forçá-lo a tomar uma posição política, eles lhe perguntaram se os judeus deviam pagar impostos a Roma.
    Marcos registrou a resposta de Jesus: “‘Por que me pondes à prova? Trazei-me um denário para ver.’ Trouxeram-lhe um. E ele lhes disse: ‘De quem é esta imagem e inscrição?’ Disseram-lhe: ‘De César.’ Jesus disse então: ‘Pagai de volta a César as coisas de César, mas a Deus as coisas de Deus.’” (Marcos 12:13-17) O livro Church and State—The Story of Two Kingdoms (A Igreja e o Estado — A História de Dois Reinos) diz o seguinte sobre o motivo dessa resposta de Jesus: “Ele se recusou a fazer o papel de um messias político e fez questão de deixar bem clara a separação entre César e Deus.”
    Jesus não era indiferente a problemas como pobreza, corrupção e injustiça. De fato, a Bíblia mostra que ele se comovia profundamente com a situação deplorável das pessoas ao seu redor. (Marcos 6:33, 34) Ainda assim, Jesus não deu início a nenhuma campanha para eliminar as injustiças do mundo, embora alguns tivessem tentado de tudo para ele se envolver nas questões polêmicas da época.
    Esses exemplos deixam claro que Jesus não quis se envolver em assuntos políticos. Mas o que dizer dos cristãos hoje? Eles devem se envolver na política?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi anônimo, seja bem vindo ao Blog.
      Particularmente entendo que o Cristão pode entrar na política, porém, por se tratar de um espaço tremendamente corruptível, precisará de muita comunhão com Deus para que continue obediente à Palavra de Deus. Portanto, aquele que quiser ser político terá que continuar buscando primeiro o reino de Deus. Pense, como seria o mundo governado por ímpios?

      Excluir

Não serão aceitos comentários ofensivos.
Obrigado.
Deus te abençoe.