28/07/2014

Estado Islâmico explode santuários de profetas no Iraque

Mesquitas abrigavam túmulos dos profetas Jonas e Daniel. Grupo jihadista já destruiu cerca de 45 templos sagrados na região de Mossul, no Norte do país

Moradores do Mosul, no norte do Iraque, caminham sobre escombros da mesquita Nabi Younis. Santuários dedicado ao profeta Jonas, reverenciado no cristianismo e no islã, foi destruído pelo grupo jihadista Estado Islâmico - AP

MOSUL, IRAQUE — O grupo jihadista Estado Islâmico destruiu santuários dedicados a dois profetas reverenciados pelo cristianismo e o Islã, na cidade de Mossul, no Norte do Iraque, na última quinta-feira. Segundo uma testemunha, os militantes do grupo interromperam as orações na mesquita de Nabi Younis, e, em pouco mais de uma hora, prepararam e detonaram os explosivos, destruindo o santuário. Um vídeo que mostra o momento da explosão da mesquita, foi disponibilizado no YouTube.



A mesquita abrigava o que se acreditava ser o túmulo do profeta Jonas, que, de acordo com a Bíblia e o Alcorão, teria sido engolido por uma baleia. Outro santuário destruído na cidade foi a mesquita que supostamente abrigava o túmulo de Daniel, que embora não seja mencionado no Alcorão, é um profeta reverenciado pelos muçulmanos.

Segundo relatos de moradores da cidade, os jihadistas — que já invadiram grande parte do Leste do Iraque — já destruíram cerca de 30 santuários, além outras 15 mesquitas xiitas na região de Mossul.

O grupo, que tenta impor a Sharia, código de leis islâmicas, nas regiões que controla, deu um ultimato às famílias cristãs de Mossul no início do mês, que foram obrigadas a se converter ou fugir para escapar da execução. De acordo com o jornal britânico “Guardian”, 1.500 famílias tiveram seus pertences roubados por soldados do grupo durante a fuga, e tiveram que deixar Mossul com a roupa do corpo. Na última quinta-feira, a ONU denunciou que os jihadistas ordenaram que todas as mulheres entre 11 e 46 anos sejam submetidas a mutilações genitais.

O hábito de destruir imagens sagradas é comum entre os radicais islâmicos. Em 2001, no Afeganistão, o Talibã ordenou que estátuas gigantes de Buda fossem destruídas no vale de Bamyian, no centro do país. As estátuas, de mais de 50 metros de altura, eram considerados patrimônio cultural pela Unesco.

Fonte: http://oglobo.globo.com/mundo/estado-islamico-explode-santuarios-de-profetas-no-iraque-13376446#ixzz38licrGHf





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários ofensivos.
Obrigado.
Deus te abençoe.